A personalização nas abordagens para treinamento corporativo é de grande relevância, pois otimiza a experiência de aprendizado e fornece resultados. Veja o que você precisa saber sobre o treinamento corporativo personalizado.

Hoje, tudo é personalizado com base na preferência. Assim como as pessoas podem organizar seus feeds nas mídias sociais e filtrar as postagens que elas veem em sua linha do tempo do Facebook, os métodos educacionais também podem ser únicos. Mas como? Através de treinamento personalizado. Basicamente, o treinamento personalizado permite que uma pessoa aprenda com base em objetivos e abordagens mais eficazes para lidar com suas necessidades; impulsionada pela sequência, tempo e conteúdo que o próprio aluno considera adequado. Isso equivale a apresentar ao indivíduo várias ferramentas e abordagens, opondo-se à configuração tradicional de tamanho único para todos. Desta forma, não só a aprendizagem é otimizada, mas também uma experiência única é proporcionada, uma que traz mais resultados do que contratempos.

Já estamos em uma época diferente para o ensino, onde os funcionários são apresentados com informações gerais e em grandes quantidades. Por causa do ritmo sempre em mudança que existe na aprendizagem, o aprimoramento da educação personalizada com as necessidades de cada funcionário permite que eles assumam o controle de seu próprio aprendizado e desenvolvimento da carreira enquanto encoraja um alto nível de engajamento no treinamento. A Computer Generated Solutions (CGS) explicou em seu relatório intitulado “Prognósticos, Observações e Tendências de Aprendizagem Corporativa” que um grande número (80%) de entrevistados de várias empresas e organizações concordou que a curadoria e a personalização são prioridades para seus programas de treinamento corporativo. Mas só porque os programas personalizados são preferidos por uma grande maioria, isso não garante que os alunos avancem da noite para o dia ou em algumas semanas. Assim, para tornar a experiência de treinamento personalizada mais gratificante e valiosa, convém lembrar o seguinte:

É um processo, não um evento único.

Um artigo da HR Exchange Network relata que a personalização é uma ótima maneira de permitir que os colaboradores trabalhem e aproveitem o treinamento ao mesmo tempo; o que significa que ela não torna as etapas mais rápidas do que o normal, mas permite que o aluno aproveite ao máximo a experiência de aprendizado. Em comparação com o cenário de sala de aula, a abordagem de treinamento combinado também reduz os custos. A contratação de mais pessoal interno, agendamento de sessões que podem interromper a produtividade constante e fornecer materiais físicos e alimentos não é mais necessário. Esse modelo não apenas devolve o investimento, mas também reduz os custos sem quebrar o orçamento. O curso de educação corporativa é um ciclo contínuo e em constante evolução, e ele não para por aí. A análise e o feedback construtivo também são essenciais para qualquer processo, pois os alunos precisam conhecer suas áreas de melhoria combinadas com o reforço positivo.

O modelo traz provas futuras para resultados de qualidade.

Trazer um treinamento personalizado não é fácil nem barato, mas os resultados e a satisfação que ele detém certamente valem o investimento. Assim, os métodos de treinamento também devem se ajustar às tendências adequadas aos funcionários – uma pessoa por vez. Embora não haja dúvida de que a educação corporativa personalizada pode ser feita, ela ainda requer disposição para investir no aprendizado e desenvolvimento dos funcionários e uma abertura para mudar para estilos de ensino mais eficazes. O bom é que muitas empresas sabem disso. De fato, uma publicação da eLearning Industry informou que cerca de 38% das empresas observaram um aumento em seu orçamento de treinamento e preveem que ele aumentará ainda mais nos próximos dois anos.

Busque por conteúdo específico e relevante.

A qualidade do conteúdo providenciado deve sempre ser de máxima relevância. Um esquema personalizado não implica exatamente sucesso, a menos que os materiais fornecidos e os recursos disponíveis respondam às necessidades do indivíduo. Didina Gonzalez, da IE Business School, concorda que a maioria das ferramentas de análise pode gerenciar dados relacionados a atividades em um curso específico, mas não seria capaz de lidar com contribuições que incluam pensamento abstrato, geração de conceitos ou qualquer outra expressão criativa. Além disso, as instituições devem estar dispostas a oferecer uma ampla gama de oportunidades, bem como conteúdo de qualidade garantida. Capacitar seus funcionários com habilidades novas é prepará-los com um conteúdo certo primeiro.

Share This